Comentários irônicos, atitudes egoístas e pontos de vista diferentes podem esfriar ou até estragar um relacionamento. Confira 8 dicas para lidar com essas situações e não deixar a relação cair na rotina.

Falta de diálogo, raras demonstrações de carinho e conversas sempre com tom de críticas são indícios que alguma coisa não vai bem no relacionamento. Mas isso não quer dizer que o amor acabou. Ele pode estar sendo negligenciado, o que é um perigo também, claro! Mas se ainda existe o sentimento, é possível reacender a chama e melhorar o clima da relação. “O diálogo é fundamental para saber o que é possível e necessário ajustar no relacionamento”, afirma a psicanalista e terapeuta de casal Lelah Monteiro, de São Paulo (SP). Em qualquer relacionamento, há sempre mais de uma opinião, mais de uma vontade e pelo menos dois pontos de vista envolvidos. O ideal é sempre buscar um meio termo e, para isso, ambos precisam ser flexíveis durante a conversa. Da mesma forma que o parceiro deve entender que está passando dos limites com suas implicâncias, a mulher precisa analisar se suas críticas são construtivas ou não. O segredo está no “como” isso é feito. É preciso tato, jogo de cintura e humildade para que a conversa não se transforme em um mar de acusações e comentários negativos. “Comece falando o que você está sentindo e pergunte se isso faz sentido para ele (a). Explique que você não está contente com algo e pergunte se ele (a) pode ajudá-la (o)”, orienta Lelah.

Para auxiliar nesta tarefa, confira algumas dicas de como você pode blindar o seu casamento contra as atitudes negativas que possam estragá-lo:

1. Abra o coração e a mente
Quando não se fala de sentimentos, cria-se, pouco a pouco, uma barreira que facilita o surgimento de dúvidas do tipo: será que ele (a) me ama? Da mesma forma que uma crítica negativa pode destruir o outro, o silêncio – em excesso e fora de hora – também tem seus impactos ruins. O (a) parceiro (a) pode interpretar a falta de interesse em conversar como: “o que você pensa não me diz respeito, não me interessa”.

2. Enterre o passado
Outra atitude que leva um relacionamento ao fim é trazer à tona falhas e erros do passado. Ficar remoendo o que aconteceu não é saudável e pode condenar uma relação. Em vez disso, experimente conversar sobre a situação e colocar um ponto final no assunto, de preferência com um pedido sincero de desculpas – se for o caso.

3. Ajuda profissional
Se ambos os parceiros ainda acreditam no amor, mas está difícil encontrar uma saída sozinhos, há sempre a opção de procurar ajuda de um profissional. “A terapia de casal nada mais é do que abrir espaço para que duas pessoas possam falar e escutar um ao outro”, explica.

4. Fuja da rotina
Convidar para tomar um sorvete em um dia comum, trocar carinhos, dar presente mesmo que não seja uma data especial e fazer um elogio são táticas simples para não deixar o relacionamento cair na mesmice. “Reestabelecer os laços de namoro é fundamental durante todo o casamento”, ressalta a terapeuta de casal.

5. Troque as críticas pelos elogios
Depois de anos de relacionamento, é comum os parceiros observarem mais as falhas do que os acertos do outro. Que tal fazer o caminho inverso? Em vez de criticar, destaque as qualidades do (a) companheiro (a) e procure se lembrar das características que fezem você se apaixonar por ele (a). Mas atenção: é importante que o elogio seja sincero e venha do coração, do contrário, pode soar como bajulação ou falsidade.

6. Não lave roupa suja fora de casa
É preciso muito cuidado para não cair nesta armadilha. Ao se deparar com o erro do (a) parceiro (a) enquanto estiverem na casa de amigos ou mesmo familiares, respire fundo e tenha paciência. Melhor esperar chegar em casa para ter um papo franco. Chamar a atenção dele (a) na frente de todos é correr o risco de iniciar uma discussão que não levará a nada, a não ser a mágoas e constrangimento.

7. Cuidado com terceiros no relacionamento
É preciso maturidade e compreensão quando um dos cônjuges traz para o casamento filhos de outro relacionamento, ou, então, por vários motivos, um dos pais vai morar com o casal. Mais do que isso – é preciso cuidado para que a atenção não seja desviada.

8. Inove na intimidade…
Mas vá com calma. A terapeuta de casal Lelah Monteiro defende que o uso de acessórios e cremes na cama pode favorecer a relação do casal, mas é importante que isso não seja imposto. Segundo ela, o casal deve entender junto que aquele item pode melhorar a sensação de prazer dos dois. “A forma como a novidade é apresentada faz toda a diferença. Se o homem, por exemplo, sente que ela está impondo algo, vai ficar resistente”, esclarece.

Hora da DR

A terapeuta de casal Lelah Monteiro observa que algumas mulheres querem discutir a relação nos piores lugares, quando o casal sai para se divertir com os amigos ou está na casa dos parentes. Ela dá dicas para evitar que a DR comece e termine mal:

1) Não comece dizendo “vamos discutir a relação”. Essa frase pode criar um mal-estar inicial e determinar o tom da conversa: sério e pesado.

2) Chame o (a) companheiro (a) para ir a um lugar mais descontraí- do, como um barzinho, ou crie um ambiente acolhedor em casa;

3) Seja carinhosa (o) e fale devagar.

4) Delimite o tempo. Uma das principais queixas dos homens é quando a mulher fica falando sobre o mesmo assunto durante dias. Tentem chegar a um consenso sobre o tema para não precisar volta no assunto. Saber colocar ponto final em determinados temas é fundamental para seguir em frente.

Fonte: Revista AVISTA, matéria participação Lelah Monteiro.

1.jjpg

2.jpg

 

Leave a Reply