O fim não precisa ser “o fim da picada”

Mais uma contribuição minha para o Universa UOL, dessa vez repercutindo o que aconteceu com os influencers Viih Tube e Lipe Ribeiro – mas que poderia ter sido com qualquer pessoa.

Do que estou falando?

Daquelas cutucadas, daquelas picuinhas que costumam rolar quando um relacionamento chega ao fim. E, pior, da exposição pública de tudo isso.

A culpa é sempre do outro que é imaturo, que não entendeu bem, que era possessivo, que não levava a relação a sério ou, pelo contrário, levava a sério demais.

Porém, o término não precisa ser assim.

Na terapia de casal, procuro ressaltar com meus pacientes a importância do diálogo, do respeito e do alinhamento das expectativas de cada um com o relacionamento. Isso não é garantia de que a relação vai durar pra sempre, mas que, SE e QUANDO ela terminar, as pessoas não vão sair dela tão machucadas ou rancorosas.

Destaquei alguns trechos da matéria, mas vocês podem lê-la na íntegra lá no Universa UOL, ok? Ficou bem legal! O link é esse: https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2022/03/23/exposicao-de-lipe-a-viih-esconde-machismo-e-falta-de-empatia-diz-psicologa.htm.

Abs.

Lelah Monteiro (para agendar terapia de casal: 11 99996-3051)